Missão

Nossa missão: Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Display

FELIZ PÁSCOA!!!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

domingo, 17 de junho de 2018

Seu amor, seu valor



                     Você já se perguntou se a qualidade de seu trabalho é compatível com sua renda e com sua qualidade de vida?  Quanto vale mesmo o seu trabalho? Melhor dizendo, quanto vale a sua hora de trabalho? Ela tem sido devidamente respeitada e valorizada? Ou você tem pulverizado sua força de trabalho, seu talento, seu valor e suas horas trabalhadas fazendo bicos pelo mundo afora que rendem migalhas que não honram seus compromissos???


                     Você se vê preso na ampulheta da imagem acima, com o tempo passando, mas você não consegue acompanhá-lo? Sabe aquela sensação de que há algo emperrado em sua vida, quando não se vislumbra uma nova oportunidade de fazer algo a mais que seja surpreendente e extraordinário, ou seja, uma façanha que lhe permita dar um salto de qualidade em sua vida? Sabe aquela sensação de que, além de sua vida estar parada, ela também está esfriando, e o mar ou o rio por onde você navega está secando?


                     Seus pares parecem mais capacitados. Eles parecem amar suas vidas. Com isso, eles atraem clientela e bênçãos, que parecem se afastar de você cada vez mais. E você, o que faz? O que tem a oferecer? Já reavaliou o valor de seu produto? Tem ideia de quanto de si tem investido nesse produto? Percebe que não tem chovido bastante em sua plantação, ultimamente, e, por isso, você não tem produzido a contento? Não percebe que já é hora de começar a valorizar sua hora de trabalho? Não percebe que tem gasto tempo demais trabalhando para quem não se importa de fato com seu trabalho, por exemplo, e tendo pouco retorno com isso? Às vezes, não sente como se tivesse ido de encontro à vontade divina, tomado um caminho errado e, consequentemente, se tornado infeliz com essa escolha? Por que mesmo você escolheu esse rumo? Foi pensando em se mostrar realmente útil ao próximo? Foi pensando nos ganhos materiais? Ou foi apenas por complexo de inferioridade, acreditando que ia chegar ao topo de uma montanha?


                     Você ainda trabalha muito, embora já tenha trabalhado muito mais, noutros tempos, mas agora obtém um retorno irrisório, em se tratando de remuneração e de satisfação. Você parece cansado de tanto trabalhar para não ver uma luz no final do túnel e não sair do lugar. Você parece ainda não ter conseguido explorar todo o seu potencial para tirar leite de pedra. Você parece frustrado com sua vida, vislumbrando apenas promessas de um futuro promissor ainda não concretizado. No presente, você ainda não encontra a satisfação que esperava encontrar aqui, há alguns anos. Seus pares estão numa situação bem mais confortável que a sua, se permitindo viajar para o exterior, periodicamente, por exemplo. Enquanto você vive acorrentado a uma vida medíocre, num círculo vicioso, como um atleta profissional e de alto desempenho em crise.


                     Esta reflexão trouxe mais dúvidas que respostas. E a vida segue assim. Você também já está cansado de olhar para os seus problemas e segue em busca das respostas para eles, as quais encontrará com alguma dificuldade, um dia. Enquanto isso, o resto do país só pensa na Copa, inclusive quem está preso. Até lá, tenha uma boa semana e boa sorte.



---X---



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Moral da história

Moral da história