Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

domingo, 13 de agosto de 2017

Festinha na laje



                      Falando em festas, saiba que já chegou ao Congresso Nacional um projeto de lei que pretende criminalizar o funk, sob o argumento de que esse estilo musical seria voltado exclusivamente para fazer apologia ao crime e à outras formas de deturpação de valores éticos e morais. Você pode não gostar de funk, é um direito que lhe cabe, mas você há de convir que há uma certa visão estereotipada desse estilo e um certo exagero nessa medida, porque nem todas as letras de músicas de funk seguem essa tendência.

domingo, 6 de agosto de 2017

Festinha na área VIP



                   Na semana que passou, numa das principais áreas VIP do Brasil, que é o Congresso Nacional, o presidente Michel Temer, lançando mão de todos os recursos possíveis para cooptar a simpatia de boa parte dos deputados federais e tentando provar que veio para transformar o Brasil, para o bem ou para o mal, conseguiu se livrar provisoriamente de ser afastado do cargo para ser investigado e possivelmente indiciado pelo crime de corrupção passiva. Naquela mesma área VIP, o clima parecia ser de tanta descontração, como numa festa, que um deputado estaria navegando na internet e, por meio de uma rede social, pedindo que alguém lhe enviasse fotos de nudez. Era o mesmo deputado que teria tatuado o nome do presidente no ombro. Quiçá para mandar beijinhos no ombro.

domingo, 30 de julho de 2017

Nação rica e (ir)racional



Quando abrimos  qualquer  compêndio  de  geografia  da  Bruzundanga;  quando  se  lê  qualquer poema  patriótico  desse pais,  ficamos  com a  convicção  de que essa  nação  é a  mais  rica  da  terra. A  Bruzundanga,  diz  um  livro  do  grande  sábio  Volkate  Ben  Volkate,  "possui  nas  entranhas  do  seu solo  todos  os  minerais  da  terra. A  província  das  Jazidas  tem  ouro,  diamantes;  a  dos  Bois,  carvão  de pedra  e  turfa;  a  dos  Cocos, diamantes,  ouro,  mármore,  safiras,  esmeraldas;  a  dos  Bambus,  cobre,  estanho  e  ferro.  No  reino  mineral,  nada pede o  nosso  país  aos  outros.  Assim também no  vegetal,  em que é sobremodo  rica  a  nossa  maravilhosa  terra. A  borracha,  continua  ele,  pode  ser  extraída  de  várias  árvores  que  crescem  na  nossa  opulenta nação;  o  algodoeiro  é  quase  nativo;  o  cacau  pode  ser  colhido  duas  vezes  por  ano;  a  cana-de-açúcar  nasce espontaneamente;  o  café,  que  é  a  sua  principal  riqueza,  dá  quase  sem  cuidado  algum  e  assim  todas  as  plantas úteis  nascem  na  nossa  Bruzundanga  com  facilidade  e  rapidez,  proporcionando  ao  estrangeiro  a  sensação  de que ela  é o  verdadeiro  paraíso  terrestre". Nesse  tom,  todos  os  escritores,  tanto  os  mais  calmos  e  independentes como  os  de  encomenda, cantam a  formosa  terra  da  Bruzundanga.

domingo, 23 de julho de 2017

Nação laboriosa



                   Como foi aprovada recentemente pelo Congresso Nacional a proposta de reformas na legislação trabalhista que devem mexer profundamente nas relações de trabalho, aproveitamos o ensejo para lançar algumas reflexões sobre a importância do trabalho em nossas vidas. Aqui não cabe julgar se essa reforma trabalhista é justa, lícita, moral e ética ou não, mas, apesar de as mudanças aprovadas não terem saído tão draconianas como o esperado e de elas terem pontos positivos e pontos negativos, ainda está evidente que querem implementar leis condizentes com as realidades de países de primeiro mundo num país de terceiro mundo. A justificativa de seus idealizadores é que a legislação trabalhista brasileira precisa ser atualizada e modernizada. O mesmo fizeram com a legislação de trânsito, há quase vinte anos. Se vai dar certo ou não, só o tempo dirá.