Missão

Nossa missão: Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Venha participar do Dia do Desafio 2019

Venha participar do Dia do Desafio 2019
Onde estiver, faça pelo menos meia hora de atividade física e registre-se. Para mais informações, clique nesta imagem.

Display

FELIZ PÁSCOA!!!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Fogo de palha



                  O ano já está avançando. O novo governo, que já não é mais tão novo, ainda não, porque ainda não mostrou a que veio. Os eleitores do presidente já estão se arrependendo de seus votos, e o povo brasileiro já está bocejando com todo esse marasmo e, ao mesmo tempo, escandalizado com tantas mancadas de gente do governo, maculando e engodando a gestão. Ate agora, tem se visto muita gritaria, muita pirotecnia, muita promessa, pouco trabalho e pouca entrega.


                  O presidente foi infeliz, em algumas escolhas. Primeiro, escolheu para representá-lo e bajulá-lo, junto ao Congresso, uma figura fanática e polêmica, de credibilidade questionável. Depois, nomeou, para ministro da Educação, um cidadão que não é um brasileiro nato, fala português carregado com sotaque estrangeiro e quer que acreditemos que ele entende de patriotismo e de história da nossa nação. Primeiro, o sujeito quis conclamar os estudantes a cantar o Hino Nacional e hastear a Bandeira Nacional entoando um jargão eleitoral bem batido, quiçá como uma forma de tentar desviar a atenção popular dos problemas do país. Depois, resolveu dizer que nunca houve golpe militar, tampouco ditadura, no Brasil, e quer mudar o que os livros de história ensinam sobre o assunto. Tal afirmação seria, no mínimo, uma heresia. Por isso, o Ministério da Educação está tão mal estruturado, que já está se dissolvendo


                  Temperando mais o circo deste (des)governo, na última quarta-feira, a sessão da Câmara dos Deputados com a participação do ministro da Economia, explicando a reforma da previdência, foi interrompida por uma troca de farpas entre ele e um deputado, filho de um ex-ministro preso por envolvimento no escândalo do mensalão, que o ofendeu com alcunhas pejorativas. Demonstrou-se, mais uma vez, uma notável falta de respeito para com a opinião do próximo.


                  De qualquer maneira, mantem-se acesa a chama da esperança de que o presidente da República recupere em tempo as rédeas do governo e da nação, com bom senso, deixando de desapontar a todos, antes que essa aventura dele no governo se acabe em fogo de palha.

                  Boa semana a todos.





---X---



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Moral da história

Moral da história