Missão

Nossa missão: Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Display

FELIZ PÁSCOA!!!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Apocalipse nosso de cada dia

 
           Tenho observado que alguns canais de TV paga vêm exibindo, todos os finais de semana, ou mesmo todos os dias, programas alusivos ao possível fim do mundo, tal como o conhecemos, previsto para 21 de dezembro deste ano, segundo supostas profecias atribuídas aos antigos maias. Há uma superexploração do tema na TV fechada, com documentários que mostram as especulações das ciências sobre o que pode acontecer e como, além de mostrar como as pessoas estão reagindo, nos países do hemisfério norte, com a formação de comunidades e a construção de abrigos subterrâneos, a fim de escapar de uma catástrofe, por exemplo.

             Como se não bastasse tanta irradiação midiática dessas supostas profecias maias, ainda divulgaram na grande rede mensagens, segundo as quais, as revelações de Nossa Senhora de Fátima feitas àquelas três crianças, em 1917, endossariam às profecias maias. Ou seja, parecem estar utilizando Nossa Senhora de Fátima para justificar essas interpretações errôneas do legado da civilização maia. Confira uma dessas mensagens em http://conscienciaacademica.blogspot.com/2009/08/calamidade-2.html.

              Quanto à certeza categórica da NASA, de que o mundo não vai acabar em 2012, só porque eles não captaram nenhuma ameaça dirigida contra a Terra vinda do espaço, à curto espaço, eu não estaria tão seguro disso. Pode ser que a a destruição não venha do espaço. Eu acho que, se vier, virá de dentro do planeta mesmo, ou até mesmo de dentro de nós mesmos.

               Minha sugestão dirigida a você que dá audiência àqueles programas que mencionei e que está olhando para o céu e especulando o que pode acontecer no final do ano: por que você não olha para o chão e não sintoniza sua televisão em um canal de notícias, por exemplo? Então você vai se lembrar que o mundo, ou pelo menos uma parte dele, se perde todos os dias, pois faltam saúde, educação, alimentos, empregos e segurança pública. Se perde uma parte do mundo devastada por enchentes anuais, com desmoronamentos e mortes, no eixo Rio - São Paulo, por exemplo. Se perde também uma parte do mundo, quando sua cultura fica mais pobre, com a perda de importantes nomes da música, como Wando e Whitney Houston, por exemplo. Por sinal, essas perdas recentes me surpreenderam e devem ter surpreendido mais ainda a eles próprios.



               Se você é brasileiro, lembre-se de que teremos eleições municipais este ano. Temos um importante compromisso com o presente e, portanto, não podemos perder tempo esperando pelo futuro. O que podemos fazer de melhor agora é construí-lo. Se soubermos fazer as escolhas certas na hora certa, talvez possamos recuperar em parte as coisas perdidas que mencionei no parágrafo anterior e salvar o mundo, ou pelo menos um pedaço dele.

               Encerro a postagem com uma breve homenagem a Whitney Houston, cantando o hino de seu país, na final de um evento esportivo.




*****



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Moral da história

Moral da história