O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

quinta-feira, 1 de março de 2012

Flagrante do cotidiano 6


            Dedico a postagem de hoje à apresentação de algumas mazelas do trânsito que tenho visto em minha cidade, nos últimos dias. A imagem acima e a próxima, por exemplo, são de um carro que ficou aparentemente esquecido no meio da rua, em frente à entrada de um estacionamento, nos arredores do Hospital das Clínicas da UFC, dificultando a entrada e a saída de outros carros daquele estacionamento.



            Aqueles quarteirões no entorno do hospital são mesmo muito tumultuados e é muito difícil conseguir uma vaga para estacionar. O dono daquele carro não quis nem saber. Não achou um lugar melhor, deixou ali mesmo, sem se importar com as consequências. Aqui é assim mesmo. Cada um só se importa com o seu. Se este estiver garantido, o resto que se dane.

             
              Quer ver outro exemplo de egoísmo? Observe as imagens superior e inferior. O carro cinza não se importou de ficar naquela posição, "trancando" o carro vermelho.


             Quanto ao tráfego nos horários de pico, que já se prolongam ao longo do dia, em alguns pontos da cidade, já estou quase sem comentários. A sensação é de que estamos cada vez mais encurralados, porque quase todas as ruas de Fortaleza estão como nas imagens abaixo, tiradas do mesmo local de algumas postagens atrás, e ficamos sem saída. Não temos vias alternativas. Se você quiser se aventurar a cortar caminho por ruas secundárias, precisa ser um exímio conhecedor da área envolvida, para não se perder, não entrar na contra-mão e não se engodar ainda mais, até porque outras pessoas provavelmente já tiveram a mesma ideia que você. Por essas e outras, vejo que nosso direito de ir e vir está cada vez mais comprometido. O Ministério Público, seja ele estadual ou federal, devia tomar alguma providência em relação a isto.


*****


Nenhum comentário:

Postar um comentário