Missão

Nossa missão: Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Venha participar do Dia do Desafio 2019

Venha participar do Dia do Desafio 2019
Onde estiver, faça pelo menos meia hora de atividade física e registre-se. Para mais informações, clique nesta imagem.

Display

FELIZ PÁSCOA!!!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Caráter



"Desilusão, desilusão 
Danço eu dança você 
Na dança da solidão."


                      Há algumas semanas, recebi pela rede social para smartphones chamada Whats App um vídeo de conteúdo forte, no qual um consagrado político nacional de esquerda é chamado de preguiçoso, de prepotente e de mau caráter.

                      Não nos cabe julgar se o conteúdo do vídeo, que é montado por meio de colagens de entrevistas, de discursos e de depoimentos, tanto do acusado como de outras pessoas que alegam conhecê-lo, procede ou não, mas dizer que uma pessoa não tem caráter é uma acusação muito grave. 

                      Ninguém gostaria que falassem algo assim a seu respeito, porque é ofensivo demais, não é mesmo??? Então, não me atrevo a publicar tal vídeo aqui porque nos faria corar de vergonha.


                      Muitos brasileiros já votaram naquele político outras vezes, porque se identificaram com ele e esperaram mais da parte dele, que se mostrou outra pessoa, depois de um tempo, mas não pretendem votar novamente nele ou nos seus aliados.


                      Se muitos dos antigos fundadores de um partido político que se considerava o maior guardião da classe trabalhadora, em nível nacional e locais, o deixou, é porque ele já se corrompeu e se desvirtuou, de fato. Aquele pode ser o partido de qualquer coisa neste mundo, mas já não é mais o verdadeiro partido dos trabalhadores e já não mais nos representa fielmente.

                      Enquanto isso, nesta campanha eleitoral, eles continuam batendo na tecla com medidas populistas e emergenciais, como o programa Mais Médicos, por exemplo, passando a impressão de que, se não estão fazendo a coisa certa, pelo menos estão fazendo alguma coisa. Eles persistem nos erros, se consideram os donos da verdade e não querem dar ouvidos às opiniões daqueles técnicos que trabalham na área de saúde com conhecimento, propriedade e imparcialidade.





************






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Moral da história

Moral da história