Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

O anticristo



                      Durante um encontro com um candidato a senador, em Fortaleza, um dirigente de uma entidade médica teria alertado a plateia sobre o suposto interesse do grupo político da situação na implantação de uma ditadura no Brasil, interesse que vai além da desmoralização e desvalorização, não apenas de todos os profissionais da saúde, mas de todo o funcionalismo público, tornando-o praticamente um escravo submisso aos interesses do Estado e dos grupos políticos que o subjugam.





                      Segundo um site católico de notícias, Nossa Senhora teria previsto a instalação de uma ditadura comunista no Brasil, em aparições à um grupo de crianças, no sertão pernambucano, nos idos de 1930. Mais recentemente, juristas católicos de São Paulo teriam alertado para o que eles chamariam de "surpresas", após as eleições deste ano. Você pode conferir as notícias nos links abaixo:


                       Parece que estamos vivendo um deja vú, porque a sociedade brasileira parece estar em retrocesso político, por conta do retorno daquelas ideações paranoicas de cinquenta anos atrás, quando muitos brasileiros acreditaram que havia um golpe de Estado em andamento, cujo objetivo era entregar o poder nas mãos de facções políticas de esquerda e estabelecer um regime socialista nos moldes do que era aplicado na extinta União Soviética, na China, na Coreia do Norte e em Cuba.

                       De fato, houve um golpe de Estado, porém aplicado pelos nossos militares, sob o pretexto de proteger o Brasil de um hipotético golpe socialista. Além de não se saber ao certo se a ameaça socialista procedia, os militares se acomodaram e passaram tempo demais no poder. Os jovens da época que não aceitaram aquela situação imposta por um governo tirano e que resolveram lutar contra ela queriam derrubar o governo militar a qualquer preço, ou pelo menos desestabilizá-lo, mas talvez não soubessem ao certo o que iriam fazer, se chegassem ao poder. Talvez trocassem seis por meia dúzia, porque tinham como exemplos líderes que também eram tirânicos e que também governavam seus povos com mãos de ferro.

                       Voltamos ao clima das eleições presidenciais de 2002, quando, no segundo turno, um dos lados tentou vencer a disputa amedrontando o eleitor, querendo passar a ideia de que a vitória do oponente traria o mais completo caos. Eles não conseguiram o objetivo. Venceu o grupo político atual, que, naqueles tempos, representava a esperança de mudanças e inovações. E, então, disseram que a esperança venceu o medo. Hoje, usa-se o mesmo argumento, em ambos os lados.

                       Não se sabe até que ponto aquelas informações acima sobre uma provável conversão do governo atual numa ditadura, que parecem teorias conspiratórias, e os temores gerados por elas têm fundamentos, mas pode ser que os atuais governistas façam como na Venezuela. Que se adentrem e que criem raízes de maneira insidiosa, por meio de modificações sutis e graduais nas leis, que lhes permitam ficar lá o quanto quiserem, reverterem o uso da máquina administrativa em seu favor, calarem as contestações e conseguirem amplo apoio popular, tudo isso como lobos vestindo peles de cordeiros. E muitos achavam que os antecessores eram quem vestia peles de cordeiros e quem pouco se importava com a fome e a sede nos sertões.


                       Mais uma vez, o povo brasileiro está dividido. Há irmãos contra irmãos, país contra filhos ou vice versa, e polarizado, entre a riqueza e a pobreza, entre o Norte e o Sul e entre o bem e o mal. Cidadãos estão sendo estigmatizados, por causa de suas opções políticas. Os representantes máximos de ambos os lados são muito carismáticos, mas não vieram para se explicar, mas para confundir. Tanto é que eles já contam com apoios de ex-adversários, apoios que transcendem interesses suprapartidários. Já não contamos mais com aquela separação entre direita conservadora e esquerda liberal. Já não sabemos mais quem é o anticristo nesta história. As religiões também estão divididas entre si, quanto às suas opiniões sobre esse assunto.



************
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário