Viva São João!!!

Viva São João!!!
Felizes Festas Juninas.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Mina de ouro


                       Por vezes, vivo como se fosse um garimpeiro, à procura de jazidas das quais possa extrair algumas pequenas pedras preciosas que sejam suficientes para pagar minhas contas. O rendimento de meu trabalho é pequeno. Muitos esforços físico e mental para obter algumas pepitas de ouro, que não são suficientes para compensar os investimentos com a exploração delas, nem para pagar todas as contas.



                       Ando pelo mundo como quem procura a sorte em máquinas de caça-níqueis, a fim de conseguir algumas moedas para seu sustento temporário. Esta é uma das poucas coisas em comum que tenho com aquele flanelinha de quem falei, há algumas postagens.


                       Continuo vivendo em uma montanha-russa, com seus altos-e-baixos, meses gordos e meses magros. Por vezes, tenho a sensação de estar dentro de um buraco ou de estar me debatendo na areia movediça, e, quando estou prestes a sair, é como se alguém calcasse o pé sobre mim e me empurrasse de volta para dentro.


                       Nos últimos dois anos, quanto mais tive esperança de sair de uma determinada situação, maior a sensação de estar sendo sugado por ela. Por vezes pensei algo como "desta água não beberei". Nunca imaginei que fosse passar pelo que estou passando hoje, me vendo obrigado a me submeter a certos tipos de trabalho para sobreviver. De qualquer maneira, ainda bem que posso contar pelo menos com esses trabalhos para ir levando a vida.                                           

                       "Quem beber desta água terá sede outra vez, mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pelo contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna". 

João 4, 13-14


*******


Nenhum comentário:

Postar um comentário