Missão

Nossa missão: Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Display

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Lição moral bastante atual

Lição moral bastante atual

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Carpe diem



                       Numa tarde de domingo, como ontem, eu estava em casa e estava bem. Bem tranquilo e bem grato à Deus por estar em casa, numa tarde de domingo, em vez de estar trabalhando.

                       Momentos como esses são, ou pelo menos deveriam ser, moralmente falando, cada vez mais raros, segundo aquelas minhas reflexões de postagens recentes. O mundo lá fora se acabando e eu em casa tentando relaxar. Afinal, eu também tenho direito de me ausentar um pouco, de vez em quando, até porque não sou o único médico da face da Terra, não é verdade?

                       Então, o importante é que eu estava bem, mas ainda não estava me sentindo bem satisfeito. Fiquei em dúvida se eu não estaria bem melhor, se estivesse em outro lugar, fazendo outra coisa.

                       Mais uma vez, aquela minha velha sensação de estar esquecendo alguma coisa, peso na consciência reforçado pelo fato de ter esquecido de acordar mais cedo, para aproveitar melhor o dia, e ir à uma praia, atendendo ao convite de uma tia e de uns primos, ou para fugir da cidade e reencontrar meu bem, por exemplo.

                       Preciso rosetar e carpediar mais. Ficar em casa e perder algum compromisso consigo mesmo ou com terceiros, seja por conta de adversidade ou de comodidade, não é desculpa para deixar que o dia se torne improdutivo. Sempre me vem aquela cobrança interna para que o dia produza resultados e que não passe em vão. É assim que a vida deve ser, de tão efêmera que é, não é mesmo? O que me salvou o dia foi ir à igreja, ler uns livros e escrever aqui.

                       Eu sei que você já sabe o que é rosetar, porque eu já expliquei, mas você ainda não entendeu o que é carpediar, não é mesmo??? "Carpediar" é um neologismo verbal derivado da expressão latina Carpe diem ("Aproveite o dia"), lema da escola literária arcadista, que estava em voga, no final do século XVIII. Eles pregavam a fuga dos grandes centros urbanos para melhor aproveitar a vida e o mundo em contato com a natureza, coisa que estou sempre com vontade de fazer também. Depois eu quero conversar mais sobre isso. Por enquanto, eu só quero aproveitar esse dia de trabalho que se descortina.


*****


Um comentário:

  1. Olá Ynot !!!

    Acredito que de vez em quando é muito válido nos entregarmos ao ócio e relaxar um pouco, mas isso pode virar um vício... Teve uma época da minha vida que eu aproveitava cada folga para não fazer absolutamente nada, e fui me habituando a isso... com o tempo eu não aceitava mais convites para sair, não queria mais ver os amigos, estava viciada naquela inércia... Definitivamente eu não sou ter equilíbrio nesta questão...
    O importante é dosar as coisas, em alguns dias relaxar, mas em outros aproveitar para fazer atividades agradáveis e divertidas, porque senão, não carpediamos e podemos até, apenas ver a vida passar, como eu estava fazendo :) E isso não é bom né, nossa existência já é tão curta, temos que aproveitar e valorizar cada segundo !!

    Gostei da reflexão que nos trouxe !! Grande abraço e boa semana !! :)

    ResponderExcluir

Correio

Carregando comnetários... Comment Box by Codigos para blog