O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

domingo, 9 de novembro de 2014

Éden



"Somente depois da última árvore derrubada, depois do último animal extinto, e quando perceberem o último rio poluído, sem peixe, o Homem irá ver que dinheiro não se come."

Provérbio indígena

                      Éden era o nome do paraíso que Deus criou na Terra e, grosso modo, o arrendou, sob determinadas condições, ao casal Adão e Eva, protótipos da espécie humana, criados à imagem e semelhança Dele, para que eles cuidassem bem do lugar, explorando-o de maneira racional, retirando de maneira racional o necessário para viver, sem necessidade de grandes esforços.

                      Até que, num belo dia, eles se sentiram tentados a enveredar por um caminho que, aparentemente, os levaria a se tornarem tão sábios quanto o Criador e, quiçá, sentirem-se os donos absolutos do lugar, para poderem explorá-lo mais e enriquecer às custas dessa exploração. Não conseguiram levar adiante aquele projeto no Éden, porque, além de terem se sentido frustrados por não terem obtido os poderes esperados, após experimentar o fruto da árvore proibida, no centro do jardim, Deus os expulsou a tempo. O que não os impediu de por em prática seus planos de enriquecer explorando o restante do mundo mais que o necessário, ainda que, em princípio, às custas dos suores do próprio rosto e, depois, dos suores de terceiros.

                      A história acima é uma metáfora de como a espécie humana, ou pelo menos uma parte dela que se destacou, tem explorado o planeta à exaustão, por meio de suas empresas, ainda que essa exploração venha a desgastar o planeta, exaurindo irreversivelmente os recursos naturais, comprometendo a sobrevivência de muitas espécies de seres vivos, inclusive da nossa, à médio ou longo prazo.


                      Se você for à igreja hoje, só desejamos a você uma coisa: que o louvor à Deus não o silencie, nem o ensurdeça, nem o faça parecer estar morto, diante das mazelas do mundo. Tenha um bom domingo.






************


Nenhum comentário:

Postar um comentário