O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Campo


                       A postagem de hoje não trata de um campo de futebol. O campo em questão é outro. A passagem bíblica a seguir vai dar o mote e você vai entender melhor o que eu quero dizer.


                       Naquele tempo disse Jesus à multidão: "O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo. O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola".
Mateus 13, 44-46 
                      Essa passagem é a minha cara. Tenho encontrado campos com tesouros em potencial escondidos. Por isso, ultimamente, tenho feito alguns investimentos tímidos no mercado imobiliário. Adquiri um pedaço de terra, estou plantando nele para colher, num futuro não muito distante.

                      Por que eu fiz esse investimento? Não, não encontrei petróleo naquele lugar. Pretendo extrair dele um tesouro que só Deus conhece, mas, desde já, lhe adianto que não pretendo seguir a tendência de explorar o meu pedaço de chão para fins comerciais, entrando naquele jogo de especulação imobiliária em que a burguesia se diverte, coisa que considero antiética, imoral e fora dos meus princípios. Pretendo utilizar minha posse em benefício próprio e de meus familiares, talvez da comunidade, não para explorá-la e ganhar às custas da miséria e da desgraça alheia.

                      Minha busca por tesouros não se limita aos campos, no sentido físico de terras. Invisto também em campos abstratos, áreas em que posso promover meu crescimento pessoal e profissional e possivelmente compartilhar com outras pessoas. Então, desses campos, pretendo auferir tesouros que me permitam fazer a diferença. Depois eu quero conversar mais sobre isso.  



******



Nenhum comentário:

Postar um comentário