Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Mais respeito


                      Você já reparou que, com o advento do acesso ampliado à Internet e às redes sociais por meio dos dispositivos móveis, acabou-se o respeito à dignidade e à privacidade do ser humano??? Quem nunca recebeu por e-mail ou pelo Whats App, por exemplo, fotos de cadáveres de pessoas, famosas ou anônimas, que foram assassinadas, que cometeram suicídio ou que morreram em acidentes de trânsito???


                    Foi o que aconteceu, recentemente, quando um jovem e célebre cantor de músicas sertanejas e sua namorada tiveram suas vidas ceifadas em um acidente de trânsito. Dessa vez, alguém foi mais longe, atrevendo-se a gravar em vídeo os trabalhos de preparo do cadáver do cantor para os funerais e publicou o vídeo nas redes sociais, ignorando o fato de estar diante um ser humano como qualquer outro, embora sem vida, tampouco atentou para as consequências daquele ato. 


                    Caso você não se lembre, há cerca de um ano, durante a partida entre Brasil e Colômbia, válida pelas quartas-de-final da Copa do Mundo de Futebol, partida realizada em Fortaleza, um atacante da Seleção Brasileira teria sido gravemente lesionado nas costas, tendo sido prontamente conduzido a um hospital de referência, onde uma funcionária teria filmado sua entrada em uma maca e logo virado a câmera para si mesma sorridente.


                    São apenas exemplos de indivíduos que tentaram se valer das desgraças de terceiros para garantir seus quinze minutos de fama. Dizem que o responsável pelo primeiro caso teria sido indiciado pela autoridade policial e que o responsável pelo segundo teria sido demitido. Esperamos que sirva de lição para os demais.


                    Por essas e outras, nos cursos superiores da área de saúde, os professores de anatomia exigem o máximo de respeito possível com os cadáveres ou com partes deles que componham os acervos dos laboratórios de anatomia, proibindo, por exemplo, que as peças anatômicas sejam retiradas do recinto ou que sejam fotografadas, exceto para fins de pesquisas. 


                    Os corpos que são entregues em um laboratório de anatomia devem ser tratados com tanto respeito e dignidade, como se estivessem vivos, que, por exemplo, antes de começarem a ser dissecados, a instituição que os acolheu deve anunciar nos meios de comunicação que está de posse deles, descrevendo-lhes, por escrito, as fisionomias com o máximo de detalhes possível, sem publicar imagens, a fim de que verificar se as pessoas que estão prestes a serem convertidas em instrumentos de estudos científicos meio que à contragosto têm parentes na região, os quais devem comparecer dentro de um determinado prazo, a fim de reconhecer os cadáveres e, quiçá, autorizar a guarda dos mesmos com o laboratório de anatomia, a fim de serem utilizados como materiais acadêmicos. 


                    Além desse e de outros entraves burocráticos, em algumas escolas médicas, professores e alunos costumam encomendar missas católicas, cultos evangélicos ou cultos ecumênicos pelas almas que outrora ocuparam os corpos das pessoas mortas que estão sob suas tutelas e cujas privacidades virão a ser invadidas, em nome da ciência e do aprendizado. 

   

                    Em suma, esperamos que haja mais respeito e menos descaso pela vida humana, seja de pessoas vivas ou de pessoas mortas, não apenas por parte do Estado, que deve se empenhar dentro do possível em investigar os homicídios, mas também por nossa parte como cidadãos, como seres humanos e como cristãos, se for o caso. Porque não nos cabe julgar os vivos ou os mortos. Esta é uma incumbência divina.





### ### ### ###






Nenhum comentário:

Postar um comentário