Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 18 de julho de 2014

O campeão moral 3



                       Muitos brasileiros aceitaram bem a Copa do Mundo ser realizada no Brasil, vislumbrando a possibilidade de o Brasil ser campeão em seu território e nos encher de orgulho mais ainda, porque vencer fora deve ser bem mais difícil. Por que queríamos tanto que a nossa seleção fosse campeã? Por que considerávamos tão importante? Talvez porque muitos de nós não conseguem ser vencedores, em suas vidas pessoais e profissionais.

                       Ser vencedor, para eles, seria algo como uma mudança para um emprego melhor, ou uma promoção no emprego atual, com aumento de salário, a compra de um carro zero quilômetro ou de uma casa própria, enfim, conseguir um feito extraordinário que mude sua vida, por exemplo.

                       Muitos de nós se identificam com um ídolo, que pode ser uma pessoa ou um grupo, e esperam que esse ídolo seja um vencedor para que eles também se sintam vencedores. Mas, como nem sempre isso é possível, só nos resta levantar a cabeça, voltar à realidade e ir à luta, para tentarmos ser vencedores por nós mesmos na vida. Porque não vamos deixar de amar o futebol e de praticá-lo, tampouco deixar de continuar trabalhando e vivendo nossas vidas. Podemos ter sido derrotados, mas não estamos completamente vencidos, destruídos ou mortos.




************



Nenhum comentário:

Postar um comentário