O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Pés descalços


               Um dia desses, reparei que já não sou mais o mesmo, há algum tempo. Estou ficando mais parecido com meu pai, em alguns aspectos. Até pouco tempo atrás, por exemplo, costumava andar com os pés descalços, quando estava em casa, mesmo que o piso estivesse frio. As solas dos meus pés eram mais ásperas e não sentia tanta diferença. O importante era que me sentia mais à vontade.

               Percebi que perdi o costume de caminhar com os pés descalços. Mesmo em casa, na maior parte do tempo, estou com os pés nos chinelos ou próximos a eles. Perdi o contato com o chão do meu habitat, com o meu chão. Desaprendendo a andar de pés descalços é como se deixasse de ser eu mesmo, como se deixasse de ser natural e espontâneo. Não fiquei aleijado. Consigo ficar em pé e caminhar sem calçados, mas, para mim, é estranho agir assim. É como se não me reconhecesse mais. Ainda consigo andar descalço por pouco tempo, mas é incômodo o contato direto com o piso.

              Você deve achar trivial esta conversa, mas só estou contando isto porque foi uma sacada que tive recentemente. Minhas atitudes mudaram aos poucos e somente agora me dei conta disso. Se continuar assim, daqui a pouco, estarei dormindo de pijama e de meias, como se, em Fortaleza, a temperatura média fosse a mesma de Porto Alegre, por exemplo. Coincidência ou não, as minhas crises de rinite alérgica têm me visitado menos, de uns tempos para cá.

              Outra coisa que tenho notado é que meus fios de cabelo estão mais rarefeitos. Tenho alguma tendência à calvície, assim como meu pai, mas isto são outros quinhentos. Desaprender a andar descalçado e com alguns fios de cabelos a menos são apenas indícios de que já não sou mais aquele menino de outrora, embora ainda não me sinta tão velho por dentro. Alguns de meus gostos culturais e minha visão de mundo mudaram significativamente, nos últimos quinze anos, por exemplo. Voltaremos a conversar sobre isto.

              E você??? Também tem se sentido assim??? Como você tem cuidado dos seus pés e dos seus cabelos???


*******


Nenhum comentário:

Postar um comentário