O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sábado, 16 de abril de 2016

Uma luz no fim do túnel???



                      Como já discutimos sobre produtos que você teria a oferecer ao mundo e que possam tornar você uma pessoa mais interessante, nada mais pertinente do que perguntar o que o presente governo que está no comando do Estado brasileiro ainda teria a oferecer ao Brasil. Se ele refletisse bem, ele veria que nada mais de bom tem a oferecer e nada mais há a ser feito, de sua parte, para salvar o Brasil. O melhor, então, seria se esse governo usasse do bom senso, jogasse a toalha e se retirasse amigavelmente, sem necessidade de processo de impeachment.


                      Já não se trata mais de uma questão de violação de leis ou de uma tentativa de golpe. Já não importa mais se houve crime de responsabilidade fiscal, por meio das tais pedaladas fiscais, ou não. Tampouco importa se a Presidente da República estaria envolvida de alguma forma nos mais recentes escândalos de corrupção. Ela pode ter conquistado o direito de estar ocupando o cargo e não ter cometido, sequer, uma infração de trânsito, porém trata-se mais de uma questão de moral e de ética, porque o presente governo já não se sustenta mais moralmente, como foi dito.


                      Você já deve ter notado que, desde 1º de janeiro de 2015, o Brasil só vem descendo ladeira abaixo. Pagam-se cada vez mais impostos. O custo de vida está cada vez mais elevado. Temos recebido em troca mais violência, menos segurança, menos atenção, menos saúde, menos emprego e menos educação. Há um clima geral de descontentamento nesta nação. Apenas o primeiro ano do quarto mandato de um governo de esquerda foi o suficiente para macular as eventuais benesses que esse governo trouxe para o país, nos últimos treze anos.



                      Não seria a primeira vez que um governo seria afastado no Brasil, por meio de trâmites legais. Já aconteceu também noutros lugares, como no Paraguai, por exemplo. Já no Egito, a pressão popular nas ruas, naquele clima de Primavera Árabe, foi que culminou na queda de um governo de mais de trinta anos, praticamente uma dinastia. Por que não poderia ser da mesma forma no Brasil???


                      Seja como for, todos os brasileiros, sejam quais forem seus lados, sairão perdendo, ao desfecho desta crise, se não souberem o que fazer com a liberdade e com a democracia, nem para onde seguir, daí em diante, caso o governo caia, e se não começarem logo, a partir das eleições municipais deste ano e finalizando nas eleições gerais de 2018, um minucioso e criterioso processo de substituição nas casas legislativas pelas melhores peças de reposição possíveis. 


                      De nada adianta o governo sair, se seus apoiadores costumeiros ou oportunistas continuarem influentes nos parlamentos. Até porque esta crise política é apenas a ponta do iceberg de uma antiga e escusa disputa de interesses políticos. De muitos daqueles distintos cavalheiros que estão organizando o processo administrativo que pode culminar na remoção da presente gestão não se pode dizer que sejam cidadãos de conduta ilibada e que estejam acima de qualquer suspeita. Lembre-se de que muitos dos nossos parlamentares, por exemplo, não são de confiança, pois passam a maior parte do ano trabalhando contra os brasileiros e, portanto, não nos representam. Como se não bastasse, enquanto eles se engalfinham pelo poder lá em cima, eles parecem não ver os noticiários, especificamente as notícias policiais, por exemplo, e seguem ignorando o que se passa aqui embaixo.


                      Mais uma vez, o Brasil parece que vai se partir ao meio. Ainda há uma expressiva quantidade de pessoas que se sentem beneficiadas de alguma forma pelo presente governo, que ainda acreditam que este tenha algo de bom a oferecer à nação e que o Brasil não poderia estar em melhor fase. É um direito deles perseverar nesses ideais. Independentemente disso, talvez ainda haja uma luz no fim do túnel para o Brasil.


                      Tenha um bom final de semana, que promete ser quente, se puder.





--- # --- # ---



Um comentário: