O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Coisas que um fotossensor não é capaz de ver



          Mais um ano não começou muito bem, para os cearenses e para os brasileiros. Em Fortaleza, por exemplo, um jovem funcionário público do município foi assassinado por assaltantes, menores de dezoito anos, quando saía de casa para trabalhar, na manhã da primeira segunda-feira do ano, dia 04. Chega a ser revoltante tanto descaso e desrespeito com a dignidade e com a vida, acompanhado por tanta hiper-proteção e cumplicidade por parte do poder público com a criminalidade.
 

          Ainda em Fortaleza, no mesmo dia, começaram a vigorar e ser fiscalizadas as modificações na legislação de trânsito que aumentam os níveis de gravidade de algumas infrações, como, por exemplo, trafegar por faixas exclusivas de ônibus e estacionar em vagas reservadas para idosos ou deficientes físicos, bem como os respectivos valores das multas. Certamente, tais medidas estão longe das melhores intenções em fazer o bem à coletividade. Como dito, desde 2015, vale tudo, para aumentar a arrecadação dos cofres públicos.


          De São Paulo, chegaram notícias de arrastões perpetrados contra veículos que trafegavam por um ponto da rodovia federal Regis Bittencourt (nome do trecho da BR 116 entre São Paulo e Santa Catarina), no último feriadão. Se esses crimes acontecem com frequência naquela área, é porque, certamente, as autoridades não estão se fazendo presentes por lá, como deveriam, a não ser de maneira camuflada, à espreita e similar à de quem deveria ser combatido. 


          Com essas informações, você pode deduzir em que prioridades o governo está focando. Pode ser em qualquer uma, desde que não seja segurança, saúde e bem estar da população. O Estado brasileiro é, umas vezes, indolente demais, outras vezes, draconiano demais, com uso desproporcional da força. Por tudo isso, ele só tem merecido uma grande vaia.










Nenhum comentário:

Postar um comentário