Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Farewell 2

                     
                     
                      Hoje é sexta-feira. Vem aí mais um final de semana, momento sagrado e sempre tão aguardado, não apenas pelo brasileiro, mas por toda a civilização ocidental. E você??? Já sabe o que vai fazer com este final de semana, com os finais de semana vindouros, com os próximos feriados e com suas próximas férias???



                      Sua resposta para a primeira questão talvez seja "talvez" e, para as demais, talvez seja "não". Sempre assim. À curto prazo, por vezes temos algo planejado, para um momento de lazer em um futuro próximo, mas, em geral, só sabemos ao certo o que fazer com nosso tempo livre, quando ele já está perto do fim. 


                     Passamos tanto tempo trabalhando, ao longo das semanas, que a única coisa que desejamos é que chegue logo o próximo final de semana ou, melhor ainda, o próximo feriado. Não costumamos planejar o uso racional e sadio de nosso tempo livre. A única certeza que temos é a de que vamos beber em uma happy hour com os amigos, após o fim do expediente da sexta-feira, e/ou dormir até mais tarde, no sábado e no domingo. Então, os dias de ócio passam depressa, e não conseguimos aproveitá-los de maneira satisfatória, se não tomamos-lhes as rédeas. Ou então nos contentamos simplesmente com o fato de termos um tempo destinado exclusivamente para ficarmos fazendo absolutamente nada.


                      O domingo, por exemplo, é um dia estratégico. O domingo é o Dia do Senhor, para a maioria dos cristãos. O domingo marca o auge e, ao mesmo tempo, o final do final de semana. O domingo se repete a cada sete dias, ainda bem, e a maioria dos brasileiros está de folga, nesse dia. Por isso, o domingo é um dia propício para reencontros calorosos entre parentes e amigos que não moram tão distantes, mas também não moram ou trabalham próximos o suficiente para se verem todos os dias. No domingo, geralmente eles se reúnem para um almoço ou um jantar especial, mas esses momentos de confraternização, que, em geral, são mais curtidos pelas crianças, que brincam bastante entre elas, duram pouco. Em poucas horas, cada um segue seu caminho e se prepara no seu íntimo para retomar a velha rotina, no dia seguinte, depois que a banda do fim de semana passa.


                      O domingo também é um dia em que os casais geralmente cumprem uma programação à dois, fazendo juntos coisas que dificilmente eles fariam juntos em outros dias da semana, como fazer um piquenique na praia ou no campo, passear numa praça ou num shopping de mãos dadas, depois de saírem da igreja, ir ao estádio de futebol ou ao cinema, entre outras coisas.


                      Como se vê, domingo é um dia alegre, mas também é um dia triste, porque é um dia tanto de encontros como também de despedidas. O domingo marca o fim de algo e o começo de outra coisa. O jeito é aceitar este padrão cíclico da vida, que vai e vem como as ondas do mar, e tentar fazer a mesma coisa de sempre, em todos os finais de semana, mas fazendo tudo sempre de um jeito diferente. Procure ampliar seus círculos sociais para além de seus ambientes de trabalho e de estudos, porque aqueles ambientes não são capazes de lhe oferecer tudo de que você precisa para sobreviver. Então, não sinta saudades deles, nos finais de semana, e não peça para que a segunda-feira retorne logo, para você voltar a eles. Tenha um ótimo e proveitoso final de semana!!!  




                      
                      



************



Nenhum comentário:

Postar um comentário