O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Ocupação


                      Atendendo à pedidos, esta postagem está baseada nas reclamações que temos recebido de leitores que residem próximos aos bares e restaurantes mais badalados de suas cidades. A principal reclamação deles contra aqueles estabelecimentos não se refere necessariamente ao barulho emitido por eles, mas à ocupação e mau uso dos espaços adjacentes, inclusive com colocação de mesas e cadeiras nas calçadas e até mesmo em parte das pistas de rolamento.
 
                      Existem ainda alguns inconvenientes para a colocação de mesas de restaurantes ao ar livre, em nosso meio. O mais importante é a falta de segurança. Os clientes nas mesas externas estão mais vulneráveis aos ataques de ladrões que eventualmente passam perto e, aproveitando um momento de distração do cliente ou coagindo-o com uma arma, subtraem-lhe algum objeto pessoal. Coisas desse tipo vinham acontecendo nas barracas da Praia do Futuro, a praia mais badalada de Fortaleza. Por isso, algumas barracas contrataram seguranças particulares.

                      Outra coisa que me preocupa é o fato de que, nas adjacências de restaurantes e de casas noturnas, por exemplo, há um intenso consumo de bebidas alcoólicas e até de drogas ilícitas. Nas ruas desses estabelecimentos, costumam trafegar veículos conduzidos por indivíduos que, por vezes, estando sob efeito de substâncias psicotrópicas ou não, resolvem fazer algumas manobras arriscadas, só para chamar a atenção de quem está fora dos veículos, acabam perdendo o controle dos veículos, que sobem a calçada e acabam atropelando alguém, antes de colidirem em algo. Incidentes assim não são raros.

                      Quem resolver abrir um negócio desta natureza precisa de muito bom senso. Se o tamanho da edificação não for suficiente para comportar a clientela esperada, então procure um ponto comercial maior. Vide o que aconteceu na boate Kiss, com lotação supostamente acima de sua capacidade. Então, não faça da rua uma extensão do seu bar, restaurante, lanchonete, clube, boate ou algo assim, a não ser que ele esteja situado no meio de uma praça ou de um calçadão, como aqueles cafés quase que totalmente ao ar livre, que se veem nas ruas de Paris, de Veneza ou de Buenos Aires, por exemplo. Mesmo nestes casos, ainda deve haver limites para a ocupação da via pública.

                      Dedico esta postagem à minha amada Ane, que faz aniversário hoje. Minha querida, muito obrigado por você existir e por fazer a diferença na vida de muita gente, inclusive na minha, há cinco anos. Dedico a você o clipe a seguir, que eu sei que você gosta de ouvir, mais uma vez.

                      



***********



Nenhum comentário:

Postar um comentário