O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Christmas time is here again - The Beatles

Desejamos um Feliz Natal e um 2018 de bênçãos.

Desejamos um Feliz Natal e um 2018 de bênçãos.
Que não se percam os verdadeiros sentidos do Natal e da vida.

Boas festas

Boas festas
Desejamos um Feliz Natal e um 2018 de bênçãos.

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sábado, 31 de agosto de 2013

O caranguejo e o veado


          Na manhã da última terça-feira, estava ouvindo no rádio uns comentários sobre o incidente que tomara lugar na Escola de Saúde Pública do Ceará, em Fortaleza, na noite anterior, quando, após a apresentação pública de alguns dos médicos estrangeiros que vieram ao Brasil para participar do programa Mais Médicos, alguns daqueles médicos, que eram cubanos, foram insultados com vaias e alcunhas pejorativas por alguns de seus congêneres brasileiros.


          Pois bem, depois daquilo, a imprensa e a opinião pública se voltaram mais ainda contra a classe médica, que, a cada dia que passa, está sendo cada vez mais taxada de egoísta. No entanto, o que mais me intrigou naqueles comentários do rádio, na terça-feira, foi o fato de que os médicos chegaram a ser comparados, por uma das articulistas mais experientes da imprensa cearense, com uns caranguejos, pois, segundo ela, os médicos só querem trabalhar no litoral.


          Fiquei meio indignado com aquela comparação, pois, além de pejorativa, é incompatível com a realidade. Se fosse verdade, não haveria médicos em lugares como Amazonas, Minas Gerais e Distrito Federal, por exemplo. Se, porventura, a maioria dos médicos brasileiros estão residindo e trabalhando em cidades do litoral brasileiro, isto se deve pelo mesmo motivo que levou a maior parte da população brasileira a se estabelecer em cidades do litoral brasileiro, onde estão as cidades mais desenvolvidas. E os médicos vão aonde a população vai. Tudo isto é resultado do processo de colonização e de desenvolvimento do Brasil, ao longo de sua história. Os médicos tem também outras razões que já foram discutidas, para se distribuírem pelo território nacional desta maneira, como a falta de condições estruturais de trabalho e de vínculos empregatícios confiáveis, por exemplo.


          Se, por um lado, quem fixa residência e trabalho no litoral é chamado de caranguejo, por outro lado, como já foi dito uma vez, àquele que manifesta intenção de se aventurar a trabalhar no sertão é dito que quem gosta de correr mato adentro é veado. Replico que o vaqueiro também corre mato adentro e o vaqueiro, em geral, é um cabra macho. Então, não pense que ouvir a voz que vem do interior e voltar-se para seu interior é fugir como covarde. Pelo contrário, é enfrentar seus demônios e superar limitações.




*******


Nenhum comentário:

Postar um comentário