Viva São João!!!

Viva São João!!!
Felizes Festas Juninas.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Quem pergunta quer saber


                       Quanto você acha que vale o meu voto, para essas eleições??? Quanto você acha que vale o meu caráter??? Quanto você acha que vale minha alma???

                       Me perdoe por iniciar a postagem assim, com perguntas tão contundentes. Não tenho a intenção de ofender, mas é porque, há alguns dias, me faço essas perguntas, não apenas em relação à minha pessoa, mas expandindo a reflexão também para outras pessoas que fazem parte do meu cotidiano, desde que, no começo desta semana, vi uma mulher lamentando não ter dado ouvidos, quando alguém veio lhe contar que um candidato à vereador estaria oferecendo cem reais a cada eleitor que se dispusesse a vender-lhe seu voto, em um bairro da periferia de Fortaleza. Ela se maldizia e chorava, porque sequer se deu ao trabalho de ir lá e comprovar que não passava de um boato. Se era boato mesmo, não sei, mas acho meio fantasiosa essa história.

                        Nesta era do "politicamente correto" e das redes sociais, com a sociedade e o poder público mais conscientes e mais vigilantes, acho que, teoricamente, está cada vez mais difícil algum candidato arriscar a pele, dando uma mancada assim, principalmente nas grandes cidades e sair impune.  

                        Outras pessoas que estavam por perto e ouviram os lamentos da mulher concordaram com ela e disseram que também gostariam de ter vendido seus votos àquele suposto candidato. Não, não estou com inveja deles. Não pretendo vender meus votos. Tenho meus candidatos guardados aqui com meus botões. O que me impressiona nessa história toda foi o que pude observar, que, infelizmente ainda há muitos brasileiros capazes de se vender por pouca coisa. Muita gente diz que é contra a compra de votos, porque acha que é uma coisa imoral e tal, mas admite que venderia o seu, se alguém lhe botasse um preço bom. Não chamo isso de hipocrisia. Chamo antes de uma questão de necessidade de sobrevivência. Os brasileiros, vivemos apertados, e o poder público pouco pode ou quer fazer por nós. Não que tudo isso justifique, mas é, por essas e outras, que ainda há quem se valha desse tipo de subterfúgio, em ambos os lados, corrupção ativa ou passiva, com o respaldo da "Lei de Gérson", para sobreviver.



************



Nenhum comentário:

Postar um comentário