Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.

Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
Tire o pé do acelerador e redimensione sua vida.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Malabarismo


Você já se imaginou diante da seguinte situação: estar com todos os problemas e pendências de sua vida em suas mãos e saltando diante de seus olhos? Contas a pagar, ligações a fazer, textos a escrever, mensagens a serem enviadas, compras a fazer, visitas a fazer, enfim, tudo girando ao seu redor, 24h por dia, e você tonto e perdido, sem saber o que resolver primeiro e como, jogando as bolas para cima, uma atrás da outra, sempre passando e repassando-as, com aquela sensação angustiante de que está sempre esquecendo de fazer alguma coisa ou que não ficou bem feita.

Assim sou eu, sempre com vontade de desligar minha mente, nem que seja por pelo menos cinco minutos, sempre fazendo alguma coisa aqui e já pensando no que fazer, daqui a uma hora, vinte e quatro horas, sete dias, um mês e até mesmo um ano. E por aí vai. Sempre, compulsivamente, vendo e revendo a agenda de meu celular, repassando as anotações, em busca de algum compromisso pendente e que eu possa resolver neste exato momento. 

 
Eu faço muito malabarismo com as ideias, e minha vida acaba por se transformar num circo e num círculo vicioso, ao mesmo tempo. Eu já perdi as contas de quantas vezes desabafei aqui reflexões sobre a minha profissão e sobre a minha vida, quase sempre escrevendo as mesmas coisas, como, por exemplo, o que escrevo a seguir, sobre os malabarismos que faço com minhas ideias. 
Às vezes, eu me pergunto que marcas eu deixei, por onde eu passei. Eu me pergunto se deixei mais lembranças boas do que más. Eu me pergunto se tirei o maior proveito possível daqueles lugares. Como eu já havia dito, eu tenho vivido de maneira muito corrida, fazendo as coisas de maneira muito rápida, por vezes com passagens rápidas pelos lugares e contatos rápidos com as pessoas. Por vezes, eu me flagro a repassar tudo que me aconteceu, algumas horas antes, para ver se fiz tudo certo, se não me esqueci de nada e se não machuquei alguém no caminho. Como se não bastasse, sou sempre acompanhado por minha velha companheira de viagem: aquela sensação de ter esquecido alguma coisa.
De fato, esqueci sim, esqueci de publicar alguma coisa aqui, para levantar o ânimo de você que acabou de ler esta postagem, como aquele famoso vídeo "Para nossa alegria", por exemplo. Eu ainda não compreendi como foi que um vídeo que mostra um momento de intimidade e de descontração de uma família conseguiu fazer tanto sucesso. Sim, eu sei que é meio engraçado, mas ele não tem algo de muito extraordinário. Veja e tire suas conclusões.



*****


Nenhum comentário:

Postar um comentário